Lipo de Papada e a Platismoplastia riscos e complicações

Lipo de Papada e a Platismoplastia riscos e complicações

Eu decidi fazer esse texto, por perceber o número exponencial de pessoas à procura da lipo de papada e platismoplastia, para uma melhora no contorno do pescoço. De fato, é um tratamento incrível, que melhora a autoestima de quem faz. 

No entanto, também percebo uma banalização desse procedimento, e com isso o aumento das complicações. 

Muitas pessoas entram em contato para saber o preço da lipo de papada, e querem já marcar uma consulta para fazer o procedimento no mesmo dia da avaliação. Mal sabem todos os riscos e cuidados necessários. 

Fazer uma lipo não deve ser encarado como algo tão corriqueiro quanto cortar o cabelo, por exemplo.

Por isso, quanto mais informações o paciente tiver antes de fazer melhor. 

Existe uma infinidade de complicações que podem acontecer. Pode ser por erro de técnica, planejamento, má higiene, falta de cuidado no pós-operatório do paciente, mas também fatalidades inerentes ao procedimento. Nem sempre existe um “culpado” para as complicações.

O paciente tem o direito de saber de todos os riscos, para decidir se quer passar pelo procedimento, assim como tem o dever de cumprir as recomendações pós-operatórias. O profissional tem o dever de avaliar o paciente, fazer o procedimento seguindo todas as normas, e fazer o manejo das complicações. 

Eu percebo que muitas pessoas não querem falar sobre as complicações por parecer que com isso estamos colocando medo nos pacientes, mas penso justamente o oposto. A cirurgia não fica mais perigosa por falarmos dos riscos, muito pelo contrário.  

As pessoas ficam mais conscientes, e assim levam com mais seriedade os cuidados necessários no pré e pós-operatórios. 

É claro que a maioria dos procedimentos acontecem sem nenhuma complicação, mas não podemos simplesmente contar com a sorte.

Então vou listar alguns cuidados que devem ser levados em consideração.

A Lipo de Papada e a Platismoplastia devem ser feitas apenas em pacientes saudáveis

Os problemas de saúde do paciente podem causar uma infinidade de complicações, tanto durante o procedimento como no pós-operatório. Por isso é fundamental que a condição de saúde seja avaliada. 

Essa avaliação é feita tanto através do exame clínico e perguntas, como através de exames de saúde. 

Os exames pedidos são os laboratoriais, e muitas vezes também o eletrocardiograma e a avaliação prévia do cardiologista. Fazer o procedimento sem uma avaliação profunda da condição de saúde é um tiro no escuro, que pode dar muito errado.

Também é importante que o paciente esteja bem de saúde no dia do procedimento. Muitas vezes a cirurgia é agendada, e justamente nessa data o paciente fica doente, com uma gripe, por exemplo. O ideal é que a cirurgia seja remarcada.

Aqui vale lembrar que doenças psicológicas também devem ser levadas em consideração. A depressão é contraindicada para qualquer tratamento estético. Infelizmente muitas vezes a depressão é negligenciada. 

Os pacientes muitas vezes não contam na Anamnese, justamente por terem o desejo de fazer o procedimento. Também é delicado para o profissional contraindicar o tratamento sem a certeza do diagnóstico. Mas lidar com recuperação física e expectativa de resultado pode ser devastador para quem não está psicologicamente saudável.

A lipo de papada e a platismoplastia ainda possuem uma particularidade. Muitas pessoas que vêm à procura do tratamento sofrem de obesidade.

Aqui devo lembrar que a lipoaspiração é um procedimento indicado para pessoas que possuem gordura localizada, e não uma alternativa para a reeducação alimentar. 

Pessoas com obesidade com frequência estão inflamadas, e com a saúde prejudicada. Por isso, a reeducação alimentar prévia é fundamental para quem deseja fazer o tratamento.

As complicações podem acontecer durante o procedimento, mas também depois

Por isso, eu fico extremamente apreensiva com pacientes que procuram tratamento fora da sua cidade ou país. Essa prática é muito frequente, tanto pela procura por melhores profissionais, quanto por melhores preços. Mas quem faz tratamento longe de casa precisa ficar atento a certos detalhes:

É possível que o paciente, após um procedimento cirúrgico, tenha complicações após horas ou dias do tratamento, como por exemplo uma hemorragia tardia. 

Por isso é importante que o paciente fique próximo ao consultório mesmo após receber alta. O ideal é que fique na cidade por no mínimo 15 dias.

Também é importante saber, que em caso de intercorrências que envolvam internação hospitalar, quem paga pela internação é o paciente, então é importante verificar se o plano de saúde dá cobertura na cidade que você escolheu para fazer o procedimento. 

Existem complicações que podem se iniciar (ou se manter) após esses 15 dias, como o seroma, a fibrose exacerbada, cicatriz, dormência na região, e até uma dificuldade no sorriso. 

Ou ainda, pode não ter acontecido uma complicação propriamente dita, mas o paciente pode não ter gostado do resultado. Ele precisa saber que qualquer tratamento reparador será feito no consultório em que fez o procedimento

Se a pessoa morar muito longe, pode dificultar ou inviabilizar esses tratamentos. 

Muitas complicações estão relacionadas a falta de bons cuidados pós-operatórios

A lipo de papada e a platismoplastia têm uma particularidade: o pós-operatório é tão importante quanto a cirurgia em si, para termos um bom resultado. 

Então, é importante que o paciente se organize para esse momento. Se não for possível cumprir algum desses detalhes do pós-operatório, é melhor que que escolha outro momento para fazer:

Na primeira semana é fundamental o repouso absoluto. A alimentação deve ser leve, e o paciente deve conversar o mínimo possível. Tudo isso é importante para evitar sangramento excessivo na região. 

Em casos de grande sangramento pós-procedimento, é necessário que o profissional faça uma segunda intervenção para remover esse sangue acumulado e cauterizar vasos.

O cigarro atrasa a cicatrização e, associado à hipertensão, aumenta o risco de sangramento pós-operatório. Por isso, o ideal é não fumar pelo menos na primeira semana pós procedimento.

É fundamental que o paciente use a faixa compressiva durante 24 horas, nos primeiros 15 dias, e esse tempo pode ser estendido até 30 dias, a depender da cicatrização. 

A faixa é fundamental para que não se acumule líquido abaixo da pele, o que chamamos de seroma. Caso apareça o seroma, este deve ser removido pela punção. 

Esse líquido acumulado pode dar início a uma infecção, e são essas regiões que formam as grandes fibroses. Caso isso ocorra, os tratamentos pós-operatórios serão mais longos que o previsto.

Da mesma forma, o paciente deve ficar sem exercícios físicos nos primeiros 30 dias. 

A prática de exercícios aumenta a circulação sanguínea, o que pode provocar hemorragia e seroma, além disso a pele da região do pescoço precisa cicatrizar na posição correta, e por isso não devemos ter movimentação muscular nesta área.

Quando nos exercitamos acabamos usando a musculatura do pescoço sem perceber.

Nas primeiras semanas pós-procedimento, a região do pescoço e peito ficarão com hematoma. Enquanto a região estiver pigmentada, o paciente não deve se expor ao Sol de forma alguma, e passar bastante protetor solar. 

Se o paciente se expor ao Sol, a mancha do pescoço pode permanecer por um longo período, e será necessário tratamentos adicionais para remover a mancha.

A escolha de uma boa fisioterapeuta para o pós-cirúrgico é tão fundamental quanto a escolha pelo profissional que vai fazer a lipo de papada e a platismoplastia.

Esse é o erro que mais vejo os pacientes cometerem. Muitas pessoas não querem fazer o pós-operatório com a fisioterapeuta recomendada. Preferem fazer com outra profissional que é mais próxima de casa, ou mais barata. 

Se a pessoa que estiver fazendo o pós-operatório não for experiente em papada, o resultado da cirurgia pode ser desastroso. E com isso, o barato sai caro. Será necessário fazer muitas sessões com uma profissional experiente para reparar, e até fazer novos procedimentos cirúrgicos reparadores. 

Aqui vale lembrar que o aparecimento de fibrose após 10 a 15 dias de procedimento é normal, mas é justamente uma boa fisioterapeuta que vai tratá-las.

Existem Riscos que não podemos prever em um procedimento cirúrgico 

Um dos riscos que posso citar é, por exemplo, uma reação ao anestésico. Essa reação pode ser relacionada à intoxicação por uma grande quantidade de anestésico, ou a um processo alérgico, mesmo com pouca quantidade. 

Felizmente, usamos pouca quantidade de anestésico ao compararmos com a lipoaspiração corporal. Isso torna esse risco muito baixo.

Um outro risco possível dentro de uma lipoaspiração é o deslocamento de um trombo, o que pode causar diversos danos ao paciente, até o óbito. Felizmente, o risco de trombose em lipoaspiração de papada é muito baixo. Não temos relato em literatura científica. De qualquer forma eu opto por usar medicamentos para a sua prevenção.

Outro risco possível da lipo de papada e da platismoplastia, é o sangramento. É natural que durante o procedimento tenhamos sangramento, e que se cauterize pequenos vasos. Agora, a área do pescoço possui muitos vasos sanguíneos, que podem ter variação anatômica. 

Com isso, existe o risco de sangramento devido a um vaso mais calibroso. O profissional deve conter esses pontos de sangramento imediatamente. Eu, pessoalmente, faço uso do ultrassom previamente à cirurgia, justamente para evitar esses grandes vasos. 

No entanto, mesmo pequenos vasos podem sangrar bastante. Por isso é muito importante que o paciente fique em repouso pós-procedimento, para evitar uma hemorragia tardia.

Por tudo isso eu opto sempre por pedir muitos exames de saúde prévios, e prefiro fazer o procedimento em centro cirúrgico. 

Veja bem, o exame clínico é soberano aos exames, e existe embasamento científico para fazer a lipo de papada e a platismoplastia em consultório. 

Não está errado fazer dessa forma, mas com o passar do tempo, tenho ficado cada vez mais criteriosa, para fazer o tratamento da forma mais segura possível. 

Infelizmente mesmo assim não consigo zerar todos os riscos. Nenhum profissional consegue.

Eu gostaria com esse texto que todos os interessados em fazer a lipo de papada e a platismoplastia avaliem com carinho todas as informações para fazer o tratamento na hora mais oportuna possível, e assim, tenham um belíssimo tratamento, com o mínimo de intercorrências.

E caso tenham alguma complicação, que não fiquem surpresos nem chateados. 

Saibam que o resultado vem através de um processo, que pode ser mais rápido para uns, e mais lento para outros. 

Assista ao vídeo sobre o tema

Leia outros artigos e conheça o meu canal no Youtube

Gostou do conteúdo? Quer saber mais sobre a clínica, procedimentos e outras novidades do universo da harmonização facial, beleza ou odontologia? Visite o blog ou o meu canal no Youtube.

Até a próxima!

2 comentários em “Lipo de Papada e a Platismoplastia riscos e complicações”

  1. Avatar
    Leila Cristina da veiga Coutinho

    Fiz a lipo, plicatura do platisma e lifting, faz 6 meses , a lipo deu certo porém a flacidez a cada dia piora, qd vejo no espelho de cima para baixo parece uma esfregafeira, posso realizar estes procedimentos novamente ou não????

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Iniciar conversa
Como posso ajudar?
Olá! Estamos à disposição para te ajudar. Envie a sua mensagem agora.