Visagismo e Harmonização Facial: ampliando o conceito de beleza

Visagismo e Harmonização Facial: ampliando o conceito de beleza

Algumas pessoas ainda podem pensar que a Harmonização Facial é uma futilidade, mas a verdade é que mudar a imagem pessoal de alguém com tratamentos estéticos é um trabalho que pode ser profundo e transformador.

Com um tratamento de Harmonização Facial podemos mudar drasticamente a forma com uma pessoa se vê e se coloca no mundo.

Muitas delas ganham um brilho que vai além do tratamento em si. É claro que o contrário infelizmente também pode acontecer.

Algumas pessoas podem se sentir extremamente desconfortáveis com o resultado de algum procedimento, mesmo que o resultado tenha ficado esteticamente harmonioso.

Foi o caso de alguns famosos que ficaram bonitos pós harmonização facial, e mesmo assim quiseram reverter o procedimento. Comentei sobre o caso de alguns em especial do Lucas Lucco, nessa matéria.

Com a intenção de buscar respostas para essas mudanças no comportamento dos pacientes, a partir de mudanças na sua imagem pessoal, decidi estudar o Visagismo, e me surpreendi com a quantidades de informações relevantes para a Harmonização Facial.

Com esse estudo fica claro que não podemos de forma alguma uniformizar os tratamentos, baseando-se em padrão de beleza ou tendências.

 Vou aqui compartilhar algumas informações para vocês.

O efeito da imagem em nosso estado emocional:

Nós, seres humanos somos extremamente visuais. É um dos nossos principais sentidos. A visão é tão importante para a gente, que frequentemente falamos coisas como: “você viu o que eles falaram?” ou, “você viu que cheiro bom estava na cozinha?”.

E para completar, quando nossos olhos captam uma imagem qualquer, esta informação vai tanto para a amígdala, que despertará uma memória emocional, como para o córtex visual, onde a imagem será identificada.

Acontece que a imagem chega antes na amígdala, ou seja: antes de entendermos o significado de uma imagem qualquer, já estamos sentindo alguma emoção sobre ela.

É justamente por isso que frequentemente dizemos que “a primeira impressão é a que fica”. É difícil apagar essa emoção inicial com palavras e atitudes.

O rosto e a identidade

Da mesma forma, quando nos olhamos no espelho, antes de conseguirmos analisar nossa aparência de forma racional, já estamos sentindo alguma emoção, que pode ser muito boa ou péssima.

E temos uma profunda identificação com essa sensação. Quando uma pessoa se olha no espelho ela diz que está se vendo no espelho, e não que está penas vendo o seu rosto.

Ninguém quer ter uma emoção ruim ao se olhar no espelho, e para entender quais são esses gatilhos emocionais é necessário autoconhecimento.

Não é minha intenção aqui dar uma aula de psicologia, mas ficarei muito satisfeita se com esse texto eu conseguir fornecer algumas ferramentas para que as pessoas possam despertar o interesse em se conhecerem cada vez mais.

O que é beleza afinal?

Em outro texto aqui do blog já falei bastante sobre conceitos de beleza. Ao estudar o Visagismo me deparei com uma definição que gostei bastante:

“Uma pessoa é bonita quando sua imagem revela suas qualidades interiores com harmonia e dentro do princípio da estética”.

Essa frase está em sintonia com Hipócrates, que dizia que a personalidade se manifesta fisicamente.

Podem reparar, por mais que uma pessoa seja bonita, levando em consideração os padrões de estética, se a gente não sente verdade nessa pessoa, deixamos de nos encantar por sua beleza. Da mesma forma, muitas vezes nos deparamos a admirar uma beleza que não é tão óbvia, mas nos traz uma sensação de encanto pela verdade que ela transmite.

E isso vale para a nossa autopercepção.  Se você se olhar no espelho e não sentir verdade no que vê, por mais que o tratamento esteja esteticamente bonito, sua autoestima e autoconfiança serão abaladas.

Aqui vale lembrar que a nossa imagem está relacionada com nosso rosto (proporções e textura), mas também com nosso cabelo (como uma moldura em um quadro, faz uma diferença brutal no rosto).

Também está relacionada com as roupas que vestimos e suas cores, com nossa maquiagem, e até com a forma que falamos e nos movimentamos. Sendo assim, a imagem pessoal é composta por uma série de informações, que devem conversar harmonicamente entre si.

Muitas pessoas, mesmo sem ter conhecimento sobre visagismo, faz essa composição de forma graciosa naturalmente. Outras pessoas têm mais dificuldade. Para isso existem diversos profissionais que fazem consultoria de imagem.

Nesse texto vou me ater na Harmonização Facial, mas os conceitos são universais.

O Visagismo se enquadra em um conceito estabelecido por Louis Sullivan, conhecido como o pai da arquitetura moderna, sintetizado pela frase:

“a forma sempre segue a função”.

Com esse conceito fica mais fácil entendermos o porquê dos nossos sentimentos ao visualizar uma imagem. Vou explicar melhor:

Formas Geométricas

Todas as formas são construídas por quatro linhas básicas: linhas retas verticais, linhas retas horizontais, linhas retas inclinadas e linhas curvas.

Essas imagens estão presentes em tudo, inclusive na figura humana, por exemplo:

  • O formato do rosto pode ser quadrado, triangular, ovóide, circular, em forma de tetraedro;
  • O pescoço de assemelha a um cilindro;
  • A testa costuma ser retangular;
  • O nariz tem formato de pirâmide;
  • A íris dos olhos é circular;
  • O cabelo pode compor diversas formas geométricas, a depender do seu corte.

As quatro linhas básicas têm características inatas, que estabelecem o ritmo em que o olho as percorre.

As linhas retas verticais e horizontais são imóveis, as linhas retas inclinadas são dinâmicas, e as curvas são emocionais.

Percebam que instintivamente nós sabemos disso. Naturalmente, quando conversamos fazemos gestos com a mão, para desenhar certas linhas e assim enfatizar o que queremos dizer:

Quando dizemos: “agora chega!”, podemos fazer um gesto horizontal com a mão. Quando queremos falar algo de forma enfática, muitas vezes fazemos gestos verticais.

Quando estamos com pressa, muitas vezes fazemos gestos inclinados.

Percebam também, que muitas vezes quando queremos fazer algum charme fazemos movimentos de ondulação com o corpo.

E essas sensações não são à toa. Se você sair na rua, vai perceber que as casas e prédios se assemelham a cubos, ou seja, possuem linhas verticais e horizontais. Isso acontece porque a estrutura do cubo é estável, nós sabemos disso. Um formato quadrado exprime força, poder e conservadorismo.

Um formato retangular também exprime força e poder.  Sabemos, por exemplo que um arranha-céu, com suas longas linhas verticais é uma obra imponente e poderosa.

O círculo também é uma imagem mais estável. Possui movimento contínuo, mas apenas em torno do seu eixo.  Imagens regulares são harmônicas, porém deixam de ser interessantes para o observador.

O oval é uma versão mais irregular do círculo, e por isso esteticamente mais estimulante.

Se olhamos para um pássaro voando, veremos formatos triangulares. Isso porque a estrutura tridimensional é aerodinâmica, e favorece o movimento.  As folhas de uma árvore também possuem pontas triangulares, o que favorece o seu movimento.

 Apesar do triângulo indicar movimento, ele pode ser uma imagem estável, se por exemplo apoiarmos a base reta de uma pirâmide ao solo. Também podemos perceber que se apoiarmos uma pirâmide, com a ponta para baixo no solo, ela ficará instável e tombará para o lado. É justamente por isso que as placas que sinalizam “perigo” têm o formato de um triângulo invertido.

Quando olhamos o balanço do mar, podemos sentir sua suavidade. Não é à toa que no imaginário humano, criaram-se belíssimas sereias a se mirar no espelho no meio do mar.  Curvas amplas transmitem lirismo, suavidade, paz, romantismo e sensualidade.

Agora, em um dia de tempestade, podemos ver no mar toda a agitação e fúria, com seus movimentos rápidos em todas as direções. Com isso, desenhos com diversas ondulações fechadas passam uma emoção de confusão.

Como a Harmonização Facial se relaciona com o Visagismo?

Já posso iniciar falando do formato do rosto, e as figuras geométricas. O rosto pode ter diversas formas: Temos rostos quadrados, retangulares, redondos, ovais, triangulares, em formato de triângulo invertido, hexagonais, entre outros.

O formato do rosto, logo de início já nos transmite algumas sensações:

Rosto mais ovalado por exemplo, passa uma sensação de harmonia e delicadeza. Um rosto retangular ou quadrado transmite força, poder, estabilidade, conservadorismo.

Um rosto hexagonal, compõe várias pontas triangulares, passam uma ideia de dinamismo.

Um rosto em formato de triângulo invertido, revela introversão (pela ponta do queixo apontar para a pessoa) e instabilidade.

Um rosto mais redondinho passa inicialmente uma sensação delicada e infantil, por geralmente ser o formato do rosto de bebês e crianças. Também passa uma sensação de estabilidade e conservadorismo.

Veja bem, todos os formatos de rosto podem transmitir beleza, por mais que a moda nos guie para um padrão específico. Hoje em dia temos a impressão que todos devem ser poderosos e dinâmicos, mas isso não é verdade, e pode causar uma série de neuras nas pessoas. Também existe muita beleza na delicadeza e na introversão.

 Sendo assim, não há nada de errado com nenhum tipo de rosto. Agora, podemos mudar certos padrões, caso seja conveniente.

Vou dar alguns exemplos:

Rejuvenescimento facial e Visagismo

Com o passar dos anos, todos temos uma perda de volume na região superior do rosto, e o “derretimento” da face. Sendo assim, com o envelhecimento o rosto tende a ficar mais quadrado, o que transmite uma ideia de conservadorismo.

Inúmeras pessoas se sentem jovens, apesar do aspecto envelhecido da face. Ao fazermos o preenchimento facial, teremos um lifting no rosto, e este terá mais formas triangulares na região superior.

Isso trará dinamismo para a pessoa. Nesse caso vamos devolver as formas da juventude dessa pessoa, e não mudar totalmente sua fisionomia.

Bichectomia / Lipo de papada e Visagismo

Já atendi inúmeras pessoas que tinham o rosto redondinho, e se incomodavam pelo aspecto infantil, que não era compatível com a posição que exerciam em seu trabalho.  Para esse tipo de rosto podemos fazer tratamentos para remover volume em áreas específicas, como a bichectomia e a lipo de papada.

Também podemos acrescentar volume em certas áreas, como na região do mento (queixo), mandíbula, e maçã do rosto. Assim podemos transformar o rosto de dessa pessoa, que pode ficar mais forte, dinâmico, sensual, a depender do procedimento.

Preenchimento mandibular e Visagismo

É muito frequente a procura de preenchimento mandibular, tanto por mulheres, mas principalmente por homens. O preenchimento mandibular vai deixar o rosto mais quadrado ou retangular, o que transmite força, estabilidade, poder, energia masculina.

Como exemplo posso citar um homem com o rosto em formato de triângulo invertido, que deseje expressar mais a sua energia masculina, e deseje mais estabilidade em suas decisões. A mudança no desenho do seu rosto vai ajudá-lo a mudar sua energia.

Hipócrates definiu o temperamento humano em quatro, como 4 direções na rosa dos ventos: O temperamento sanguíneo (relacionado com o elemento ar), colérico (fogo), melancólico (terra) e fleumático (água).  É uma ferramenta muito interessante para o autoconhecimento, e muito útil para a análise de sua imagem pessoal x sua personalidade.

Linhas curvas na Harmonização Facial e Visagismo

Também não podemos esquecer das linhas curvas. Essas linhas nos dão uma ideia de sensualidade e lirismo, quando suaves. É o movimento das ondas do mar, do símbolo do infinito. Temos diversas curvas no nosso rosto, que nos transmitem instintivamente essa sensualidade. Entre as curvas posso citar:

Linhas Curvas - Visagismo

  • Curvas labiais
  • Curva fronto-nasal (entre o nariz e a testa)
  • Curva do sulco lábio mentoniano (entre o lábio inferior e o queixo)
  • Curva têmporo-malar
  • Curva maxilo- mandibular (região externa da face, entre a maxila e a mandíbula)
  • Curva maxilo- Jugal (região das bochechas).

Cada curva tem características próprias, e devem ser analisadas pelo profissional que fará a Harmonização Facial. Vou dar alguns exemplos:

Algumas pessoas possuem poucas curvas no rosto (por exemplo, pessoas magras com falta de volume na maxila). Essas pessoas têm um rosto que exprime mais “dureza” que sensualidade. O mesmo acontece com pessoas que tem pouco volume nos lábios. Nesses casos o preenchimento pode ser interessante, a depender da personalidade do paciente.

Existem pessoas que tem volume excessivo em certas áreas, o que também diminui certas ondulações do rosto, como a curvatura maxilo-jugal. A falta dessa curvatura dá um ar mais infantil para a pessoa. Nesses casos a Bichectomia pode ser indicada.

Próximos artigos sobre o tema

Esse assunto é muito extenso, poderia ser um livro sobre Harmonização Facial e Visagismo. Para não cansar, vou dividir o assunto em duas partes. No próximo texto me aprofundarei sobre o ritmo das formas, e vou analisar o rosto humano por partes.

Para quem se interessou no assunto, sugiro que vejam o meu vídeo no Youtube, para facilitar a compreensão. Também sugiro que procurem por informações sobre os quatro temperamentos humanos, idealizado por Hipócrates.

Assista ao vídeo sobre o tema

Leia outros artigos e conheça o meu canal no Youtube

Gostou do conteúdo? Quer saber mais sobre os tratamentos, procedimentos e outras novidades do universo da odontologia e harmonização facial? Visite o blog ou o meu canal no Youtube.

Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Iniciar conversa
Como posso ajudar?
Olá! Estamos à disposição para te ajudar. Envie a sua mensagem agora.